Você está em:
Postado há . Atualizado há

A valorização da carreira técnica

A empresa é como um corpo humano, todas as áreas funcionam de forma independente, mas estão interligadas, por isso, é necessário que todas atuem com maestria para que tudo funcione bem

Jéssica Vidal e Pamela Vieira. O que essas duas profissionais têm em comum? Elas direcionaram suas carreiras e se destacam em áreas com predominância masculina: atuam na área técnica no setor de elevadores – integram a equipe de funcionários da Otis.

A Jéssica entrou na Otis por meio do programa de estágio técnico Rota Escola e, com sua dedicação e competência, chegou mais longe – foi a primeira ex-estagiária a assumir o cargo de supervisora de Serviços. A Otis atua em linha com o compromisso global da empresa, trabalhando constantemente para promover um ambiente diverso, igualitário e inclusivo. E essa política de inclusão está cada vez mais consolidada. Um desses exemplos é de que na última edição do Rota Escola o número de mulheres inscritas no processo de seleção aumentou em mais de 54% em comparação ao ano anterior.

Já a Pamela Vieira, que trabalha conosco na Otis desde 2009, hoje é supervisora de Instalação e foi uma das primeiras mulheres a ocupar este cargo. Podemos imaginar os inúmeros desafios que se colocaram à sua frente, já que o mercado ainda via com desconfiança mulheres supervisionando uma obra e montagem de novos equipamentos.

Aqui, as questões relacionadas à diversidade, equidade e inclusão são desenvolvidas na prática diária. Todas os(as) nossos(as) líderes no mundo receberam capacitação para disseminar que a inclusão seja uma realidade na Otis em todo o mundo. E estamos caminhando para essas conquistas, principalmente, na área técnica.

O essencial trabalho técnico

O elevador é um dos meios de transporte mais utilizados diariamente nos grandes centros urbanos em todo o mundo: seja nos prédios residenciais ou comerciais, a rotina de muita gente inclui entradas e saídas por este equipamento. Os elevadores são instalados durante a construção dos edifícios, mas e depois? É justamente neste momento que entram em cena os protagonistas que garantem o melhor funcionamento do equipamento e segurança dos usuários: os profissionais de campo, como a Jéssica e a Pamela. Esses profissionais são o cartão de visita da empresa junto a clientes e passageiros de cada equipamento pelo qual é responsável.

Importante ressaltar que durante a pandemia o fluxo diário, especialmente em condomínios residenciais, aumentou consideravelmente devido ao isolamento social e, mais do que nunca, os técnicos e as técnicas foram essenciais em todo o período mais crítico, possibilitando que inúmeras pessoas continuassem utilizando diariamente o equipamento em segurança.

Na Otis, a segurança é um dos nossos absolutos – é assim que chamamos os nossos valores – e técnicos são parte essencial para que esse pilar esteja presente em tudo o que fazemos.

Nas relações diárias, estes profissionais criam laços de confiança com síndicos (as), moradores e usuários desses condomínios. E essa capacidade de estabelecer uma boa relação interpessoal é fundamental para que o trabalho seja executado com eficiência. O perfil destes especialistas envolve muito além da formação técnica: exige também habilidades comportamentais.

E a rotina dos nossos técnicos ficou ainda mais efetiva com o avanço das tecnologias e a transformação digital. Hoje, na palma da mão, por meio de um aplicativo, eles (as) recebem e registram atualizações e informações de cada atendimento, o que ajuda a agilizar processos.

Ao contrário do que mostram as estatísticas – de acordo com dados do Ministério da Educação, o Ensino Médio Técnico cresceu aos modestos 17% nos últimos sete anos e sua representatividade é de apenas 8% de todos os estudantes do Ensino Médio – e do que muitos pensam, a carreira técnica é desejada e valorizada pelas corporações. Investimos no desenvolvimento desses profissionais. Só no Rota Escola, oferecemos mais de 1.200 horas de capacitação teórica e prática.

A empresa é como um corpo humano, todas as áreas funcionam de forma independente, mas estão interligadas, por isso, é necessário que todas atuem com maestria para que tudo funcione bem. E, neste contexto, técnicos e técnicas são o coração de uma empresa de elevadores – essenciais pelo seu trabalho e a personificação e a humanização da empresa que representa diariamente.