Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Seu sucesso e qualidade por terceiros

Empresas utilizam a terceirização de trabalho para conquistar melhorias na qualidade da produção

 

Diversas empresas líderes de mercado contaram com a terceirização de setores como o de alimentação, de segurança e de procedimentos administrativos como estratégia de crescimento. A terceirização de serviços ligados à atividade meio teve início, no Brasil, na década de 1980, com o grande desenvolvimento da indústria automobilística e, hoje, é uma prática comum em quase todos os segmentos. De acordo com Sondagem Especial realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 54% das empresas industriais brasileiras utilizam, ou utilizaram nos últimos três anos, serviços terceirizados. Já o levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário – Assertem - demonstra que o país tem mais de 31 mil empresas de serviços terceirizáveis. Em relação à empregabilidade, diz o estudo, o Brasil possui hoje mais de oito milhões de trabalhadores terceirizados, o que representa quase 9% da população economicamente ativa.

A grande adesão à terceirização pode ser explicada porque, afinal, quando uma empresa delega tais atribuições a alguém especializado em uma área específica, a organização mantém seu foco naquilo que realmente interessa, garantindo produtividade, qualidade e competitividade no mercado, o que pode definir a sobrevivência do negócio. Sob outra visão, os setores terceirizados podem oferecer uma visão mais estratégica e completa do mercado que representam. Por isso, agora, a terceirização começa a ganhar espaço em setores estratégicos como Marketing, Tecnologia da Informação, Logística e Recursos Humanos.

Exemplo dessa tendência é a rede nacional de franquias Number One, que há três anos optou pela terceirização de seu setor de Marketing. A superintendente geral, Thelma Lawton, acredita que esse é o melhor modelo de negócios, pois assim eles trabalham com profissionais que têm experiência e estão sempre atualizados sobre o que acontece no mercado, uma vez que atendem empresas de diversos segmentos diferenciados. “O core business do Number One é outro, por isso é preferível passar a gestão de marketing para quem tem essa expertise. Além disso, o custo benefício é excelente e conseguimos melhores resultados”, revela Thelma.

A Carvalho Martins Comunicação, presente há 12 anos no mercado, foi a empresa escolhida para assumir a gestão de marca e de marketing do Number One. “Oferecemos um serviço de inteligência para atender às necessidades variadas do cliente. Atuamos no planejamento estratégico e branding, desenvolvendo trabalho que inclui desde a avaliação e fortalecimento da marca no mercado até campanhas de marketing e promoções e relacionamento com franqueados e alunos”, detalha o sócio diretor da Carvalho Martins Comunicação, Sérgio Martins.

Ele explica que, com foco em seu negócio, a organização opta por profissionais competentes, com uma visão externa do problema a ser resolvido e, portanto, independente, porque avalia e opina sem se sentir acuado pelo cargo que ocupa.

O maior desafio para que a prática ganhe ainda mais espaço no cenário empresarial mineiro é a dificuldade dos profissionais em trabalhar de forma colaborativa. “O tradicional jeito desconfiado muitas vezes compromete boas oportunidades”, acredita Martins. O Number One tem sido benchmarking na área por manter consultores em diversas áreas. Ele enfatiza que “as empresas precisam ter inteligência mercadológica para compreender que devem se posicionar de maneira relevante, e, para isso, elas devem proporcionar soluções inovadoras, mas não precisam ser mirabolantes”.

O sócio do escritório Bernardes & Advogados Associados, especialista em direito do trabalho, Franco Maziero, explica que a terceirização é uma ação legal, desde que não seja para atividade fim da empresa. “De acordo com a súmula 331, do TST, não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços especializados ligados à atividade-meio do tomador, desde que não haja pessoalidade e subordinação direta. Por isso, toda e qualquer empresa pode terceirizar setores que não sejam considerados como a atividade essencial da empresa”, informa. Maziero cita, ainda, como exemplos de terceirização setores como jurídicos, de conservação e limpeza e transporte.

Eventos feitos por quem entende

O diretor comercial da agência TOP 10 Marketing & Promoção, Fabiano Carreira, ressalta que muitas empresas terceirizam o marketing voltado para a promoção e divulgação de eventos já que se trata de uma área na qual a gestão de bons fornecedores é essencial. “Como trabalhamos há muito tempo na área de promoções e eventos contamos com um vasto e competente mailing de parceiros, fornecedores, dentre outros que possibilitam abranger qualquer tipo de ação, desde eventos promocionais em lojas de shopping centers até lançamentos de condomínios residenciais”, informa.

Carreira também acredita que o grande diferencial de terceirizar a prestação de serviços na área de marketing e promoção é a possibilidade de sempre apresentar inovações nos projetos, fugindo do convencional, e também de personalizar cada evento, tornando-o exclusivo. Além disso, é claro, de concentrar todos os serviços em um só lugar, como Buffet, decoração, palco e som, iluminação, segurança, cenografia, atrações, recepcionistas, música, dentre outros.