Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Brasileiro saca mais dinheiro da poupança

Dados do BC mostram saída de R$ 108,7 bi em maio.

As retiradas de dinheiro das cadernetas de poupança superaram os depósitos em R$ 1,301 bilhão no mês de maio, de acordo com dados divulgados ontem pelo Banco Central (BC). Esse foi o segundo mês seguido de captação líquida negativa (ou seja, quando o volume dos saques é superior ao dos depósitos). Em abril deste ano, o resultado negativo foi de R$ 1,762 bilhão. Em maio de 2010, os depósitos foram maiores que as retiradas (gerando assim captação líquida positiva) em um total de R$ 2,12 bilhões.

No mês passado, os depósitos na poupança totalizaram R$ 107,404 bilhões, enquanto que os saques somaram R$ 108,706 bilhões.

O saldo da poupança chegou a R$ 386,151 bilhões, em maio deste ano. O rendimento creditado no período somou R$ 2,079 bilhões.

Renda menor – De acordo com  o vice-presidente da Associação Nacional de Executivos de Finanças (Anefac), Miguel  de Oliveira, o aumento no volume de saques das cadernetas de poupança nos últimos meses pode ser explicado por dois motivos: a subida da inflação e a elevação da taxa básica de juros, a Selic.

Oliveira lembrou que a alta dos preços corrói o poder de compra da população. "A inflação maior afeta a renda das famílias. As pessoas estão gastando mais e sobra menos dinheiro para depositar na caderneta. Há ainda aqueles que precisam sacar o dinheiro para completar os recursos necessários para pagar as despesas."

Além disso, de acordo com Oliveira, com a alta da taxa Selic ao longo deste ano, a caderneta de poupança perde atratividade na comparação com fundos de investimentos (recursos captados para obter ganhos financeiros por meio da aplicação em títulos e valores mobiliários). Dessa forma, os fundos aplicam dinheiro em títulos emitidos pelo governo, remunerados pela Selic, e em outros ativos.

Oliveira lembrou, entretanto, que a vantagem da caderneta de poupança reside na simplicidade da aplicação, além de não ser cobrada taxa de administração e imposto de renda, diferentemente dos fundos de investimento.

O relatório de poupança do BC baseia-se em dados do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) – que destina 65% dos recursos para financiamento imobiliário – e da poupança rural.