Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Investimento volta a crescer na indústria

Produção de bens de capital aumenta e faz produção fabril avançar 0,8% em setembro

O desempenho da indústria brasileira foi positivo pelo nono mês seguido em setembro, com um reforço importante: após três trimestres em queda, os investimentos voltaram a aumentar. A produção avançou 0,8% sobre agosto e recuou 7,8% ante igual mês de 2008, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O dado mensal ficou abaixo da ampliação de 1,2% em agosto e da média de crescimento do ano de 1,6%, em contrapartida, marcou a sequência de nove altas seguidas. “Estamos voltando ao patamar de produção de março de 2007 e cada vez mais nos aproximamos do pico de setembro de 2008”, avaliou Isabella Nunes, economista do IBGE.

O resultado de setembro foi afetado pelo segmento de veículos. “Foi um mês de dissídio. A produção de veículos vinha crescendo desde o início do ano e os trabalhadores decidiram parar algumas unidades para reivindicar reajustes”, afirmou Isabella.

O impulso veio de 17 dos 27 setores, com destaque para máquinas e equipamentos (5,8%) e veículos (3,5%). No primeiro segmento, houve incentivo do IPI menor para eletrodomésticos de linha branca, mas também foram produzidos mais equipamentos para a indústria, enquanto o segundo subsetor foi puxado por autopeças e caminhões.

Entre as categorias de uso, bens de capital — que indica os investimentos — teve a maior alta, de 5,8%, acumulando no terceiro trimestre avanço de 6,1% ante o segundo. Bens intermediários subiram 0,8%, enquanto bens de consumo duráveis e de consumo semi e não-duráveis retrocederam 1,1% e 0,7%, respectivamente.

“O crescimento de bens de capital confirma que a indústria retomou os investimentos na produção, refletindo maior confiança do empresariado na economia”, afirmou Luciano Rostagno, analista do CM Capital Markets CCTVM. No acumulado dos nove meses de 2009, a produção foi reduzida em 11,6%. No terceiro trimestre, houve alta de 4,1% sobre o segundo, e recuo de 8,3% ante igual período de 2008.

Vendas de veículos recuam 5%

As vendas de automóveis e comerciais leves novos recuaram 5% em outubro no país em relação ao recorde histórico de setembro, último mês de vigência do desconto integral do IPI. As vendas de carros, picapes e furgões somaram 281,3 mil unidades no mês passado ante 296,6 mil unidades em setembro e 224,7 mil em outubro de 2008. No acumulado do ano, os negócios seguem acima do registrado em igual período de 2008: 2,49 milhões de unidades contra 2,32 milhões. Hoje, a associação que representa os concessionários de veículos do Brasil, Fenabrave, divulga balanço com os números de vendas. Informações preliminares indicam que a Fiat registrou vendas 67,9 mil automóveis ante 69,9 mil unidades em setembro, a Volkswagen negociou 59,1 mil unidades após comercializar 65,6 mil no mês anterior, a General Motors contabilizou vendas de 55,3 mil veículos e a Ford, 28 mil unidades.