Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Sustentabilidade gera demanda por contabilistas

Contabilistas ambientais ainda representam apenas 1% dos 400 mil contadores registrados no Brasil, mas apontam tendênciaA responsabilidade socioambiental tem se destacado como uma nova atuação do contabilista. O mercado, cada vez mais exigente sobre a responsabilidade de uma empresa para com o meio ambiente e a sociedade, necessita de profissionais preparados para orientar e demonstrar como o empreendedor deve agir e se relacionar frente as informações dessa área.A partir dessa preocupação, surgiu o contabilista ambiental, profissional responsável por mostrar ao mercado e ao próprio empreendedor de que maneira os impactos ambientais e sociais causados pela própria empresa podem afetá-la financeiramente. "O contador tem o papel de apresentar ao cliente a saúde patrimonial de sua empresa", afirma o sócio da Trevisan Outsourcing, Vagner Jaime Rodrigues.Desde a década de 70, as questões socioambientais passaram a integrar o currículo da formação de contabilista. Mas as atuais exigências de que uma empresa cumpra obrigações e cuidados em relação ao meio ambiente e à sociedade têm contribuído para um aumento na procura de contadores especializados.Ainda com uma representatividade pequena - de apenas 1% em relação aos 400 mil contadores registrados no Brasil - a função do contabilista socioambiental também está relacionada à elaboração de relatórios, balanços, certificações e auditorias.O contador atua como um consultor, capaz de orientar o que o empresário deve ou não fazer para comprovar os benefícios realizados para o meio ambiente e a sociedade - os ativos ambientais. Programas de reflorestamento, projetos sociais de auxílio à população em geral - com ênfase àqueles que têm ligações diretas com a empresa, principalmente os funcionários - são exemplos de atividades realizadas pelos empreendedores.Os efeitos negativos de uma empresa ao meio ambiente e à própria sociedade, ou seja, os passivos ambientais - poluição, desmatamento, danos à saúde, entre outros -, também são responsabilidades do contador. Cabe a ele registrar os impactos e providenciar o pagamento das multas e fiscalização, o que representa uma obrigação da empresa em ressarcir os danos causados. "A atividade do contador é baseada em mensurar os efeitos, causas e impactos da empresa, registrar nos relatórios a parte contábil dos processos e demonstrar alternativas e soluções ao empreendedor", diz Rodrigues.Os passivos ambientais interferem diretamente no balanço patrimonial da empresa. Dessa forma, por meio de cálculos, estimativas e registros nos relatórios e balanços, o empreendedor terá controle dos futuros gastos e investimentos necessários para compensar o prejuízo causado.O balanço socioambiental é uma das principais atividades realizada pelo contador, visando tornar públicas as atividade de uma empresa nessa área. "O objetivo do balanço é traduzir para a sociedade os projetos e iniciativas que a empresa realizou na área socioambiental. É um instrumento capaz de registrar o nível de comprometimento da empresa com o meio ambiente e a sociedade em geral", afirma o vice-presidente de Desenvolvimento Operacional do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e diretor da catarinense Martinelli Auditores, Juarez Domingues Carneiro.Com um modelo já implementado pelo CFC, o balanço ainda não é um documento obrigatório, mas "a partir de 2009 ou 2010, haverá um projeto legislativo que obrigará a apresentação do balanço, até porque as instituições financeiras internacionais só investem em empresas que apresentem o documento", diz o executivo do CFC.Outro ponto que coloca o contador em destaque nas estratégias socioambientais é o fato de o seu conhecimento assegurar a qualidade dos balanços, em geral produzidos por firmas terceirizadas ou pelas próprias empresas.