Você está em:
Postado há . Atualizado há

Trabalho: novos tempos exigem novas posturas

O home office e a atuação remota/ híbrida vieram para mostrar que estar fisicamente presente não representa empenho por si só

Muita coisa vem mudando dentro das organizações. Além de novas tecnologias e demandas, vemos que a empresas vem se ajustando conforme as necessidades e até criando novos cargos para resolver problemas que já existiam, porém, com uma pegada mais voltada ao negócio e resultado.

Hoje o RH é estratégico. Ele está envolvido diretamente com os negócios para trazer resultados mais expressivos, como por exemplo, o HR Business Partner. Em algumas empresas, principalmente nas que apresentam estruturas gigantes, dividem-se ainda por departamentos, colocando BPs para atender área Industrial, TI, comercial, administrativo e assim vai.

Existem BPS em outras áreas, como por exemplo, a financeira, que chamamos de Business Finance Partner. Esse setor responde hierarquicamente para a área comercial, um profissional que precisa conhecer de finanças e de negócio. O comercial atua com venda, números, custos e ainda se relacionar com o cliente, ação que vai muito além de uma posição financeira tradicional. Esse, sem dúvida, é o futuro.

Áreas que não afetarem diretamente no negócio, que não trouxerem resultados, podem, facilmente, ser cortadas. Hoje, toda área dentro de um departamento, funções e cargos precisam se representar em números e resultados para sobreviver. Em um relatório e reporte, os principais assuntos são voltados a números e resultados obtidos, independente de qual área se atua.

Até mesmo para elaborar um currículo ou participar de uma entrevista, depois de saberem quem você é, querem saber quais resultados você conseguiu, números, o que você agregou e quais foram os projetos de maior sucesso.

O home office e a atuação remota/ híbrida vieram para mostrar que estar fisicamente presente não representa empenho por si só. Precisamos estar ligados com o negócio. Não existe mais a desculpa de “não ser sua obrigação”. Se hoje não é parte do seu escopo de trabalho, amanhã pode ser. Você já tinha pensado em um cargo financeiro comercial? São demandas novas e uma forma de agregar conhecimentos para si e resultados para o negócio.

É recomendável ao Diretor Financeiro que tenha o certificado do Conselho Regional de Contabilidade ativo, pois essa atividade deixou de ser papel somente do Controller; o Comercial precisa conhecer tecnicamente o produto e, em caso de produtos engenheirados, precisa ser formado em Engenharia. O RH, como dito, precisa ser estratégico e conhecer do negócio e não só de pessoas; o TI (Técnico em Informática) deve incorporar governança de dados; e área financeira, em alguns casos, o Gerente de Qualidade, pode tocar a Produção no futuro.

Você está preparado para essas mudanças, atualizado com as novas ferramentas e tendências?

As empresas têm capacitado seus times para atenderem a essas novas demandas? Um ponto importante é a relação de comunicação e a confiança entre líder e liderado, que podem ser importantes para uma estratégia de sucesso. Ser estratégico é ter uma boa gestão, uma equipe alinhada e capacitada e atualizada. Lembrando que formar equipes de alta performance não é uma tarefa fácil e se torna ainda mais difícil se a empresa não tiver esse tempo para formação e optar por buscar profissionais prontos no mercado.

E falando nisso, o que mudou nos últimos 20 anos que as empresas não conseguem segurar seus colaboradores e criar um time estável? Parte da mudança vem das novas tecnologias, busca por crescimento rápido e a geração Y/Z dominando o mercado. Vivemos a “era da ansiedade”, o que dificulta a criação de times estáveis e comprometidos com o negócio em relação ao tempo.

Por outro lado, temos jovens focados, criativos, sem medo de se arriscar, que se adaptam facilmente às novas tecnologias. São jovens com estilo de liderança natural por influência, ou seja, que influenciam pessoas para a mesma visão de negócio.

Você tem visto essas mudanças dentro da sua empresa ou departamento?