Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Empreendedores criativos ensinam a fazer diferente

Segunda edição do 15x15 – Empreendedorismo Criativo leva participantes a refletirem sobre a necessidade de soluções diferenciadas nos negócios

Empreendedores bem-sucedidos, criativos, persistentes e apaixonados pelo que fazem compartilharam suas trajetórias pelo mundo corporativo e suas lições de sucesso, em Curitiba, durante a segunda edição do 15x15 – Empreendedorismo Criativo. O evento, que marcou o encerramento das atividades da Semana Global do Empreendedorismo 2011 na capital paranaense, foi uma realização da Escola de Criatividade, com co-realização do Sebrae/PR e HUB Curitiba. 

Foram mais de seis horas de efervescência criativa, aberta a empresários, profissionais, educadores, estudantes, professores e interessados em aplicar o processo criativo em suas vidas pessoais. As apresentações foram mediadas pelos fundadores da Escola de Criatividade, o publicitário, especialista em comunicação e marketing Eloi Zanetti; e o relações públicas, especialista em marketing, turismo, gestão de eventos e pesquisador sobre o pensar criativo, Jean Sigel. 

Zanetti ensinou que, para ser criativo, é preciso considerar-se criativo. Ao transitar pelas empresas, o especialista em comunicação e marketing ouve falar muito sobre inovação, mas, não percebe as organizações estimulando seus colaboradores a serem criativos. “Muitas pessoas são criativas até o portão da empresa, porque o ambiente interno não favorece o processo criativo e sem isso não há inovação”, alertou. Zanetti explicou que o evento foi planejado para que os 15 empreendedores convidados apresentassem à plateia, em 15 minutos, qual foi o ‘pulo criativo’ de seus negócios. 

O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Allan Marcelo de Campos Costa, coordenou, ao final das apresentações, um debate entre os palestrantes e o público. O dirigente avalia que o formato da oficina 15x15 responde à necessidade de se inovar nas formas de aprendizado. “Hoje, não temos mais tempo para aprender, de acordo com os modelos tradicionais. Por isso, de uma forma bem dinâmica, a iniciativa concentrou histórias de pessoas fantásticas que fizeram a diferença. São casos inspiradores, relatados por quem viveu cada situação e que estimulam a criatividade nos negócios.” 

Internet como ferramenta 

Para o empresário João Livoti, da Desmobilia, um dos fatores de sucesso de seu negócio foi apostar nas vendas de móveis com design vintage pela internet, contrariando as mais pessimistas previsões. Hoje, o www.desmobilia.com.br recebe mais de 100 mil visitas mensais e a empresa mantém 60 colaboradores. Além da internet, as peças são comercializadas em duas lojas físicas localizadas em Curitiba e São Paulo. “Acho que a criatividade contaminou minha equipe. Sou movido à paixão, acredito no que faço, ouço meus clientes e dou liberdade para que outros se desenvolvam”, disse Livoti. 

A internet também moveu o empreendedor comunitário, Edson da Maia, mas o que o levou a agir foi a falta de acesso à rede no município de Almirante Tamandaré, Região Metropolitana de Curitiba. O desejo de atender necessidades o levou a abrir a Ed Tudo, uma lan house onde a comunidade local pode pagar contas, tirar fotocópias, navegar na internet e tomar sorvete. Até dezembro de 2008, para fazer essas simples tarefas, os moradores precisavam se dirigir aos bairros vizinhos. 

Para concretizar seu sonho, Edson da Maia recebeu apoio da Aliança Empreendedora, uma organização social dedicada a auxiliar e a entender a realidade dos microempreendedores de baixa renda. O fundador da instituição, Rodrigo Brito, disse acreditar que criatividade é essencial quando há carências de recursos. “Mais importante do que ações pontuais de cunho assistencial são atividades que promovam mudanças estruturantes e duradouras. O que me motivou foi a paixão pela causa atrelada a uma curiosidade imensa. O sucesso da iniciativa está amparado em pesquisas, leituras e comunicação”, afirmou Rodrigo Brito. 

Outro empreendedor conectado é Gustavo Horn, de apenas 18 anos. A rede serviu para ele buscar conhecimento e para projetar seu talento na produção de materiais audiovisuais. Horn criou o primeiro vídeo aos 12 anos e a criatividade de suas edições chamou atenção dos amigos e empresas que passaram a demandar seus serviços e também do gigante YouTube. Hoje, o jovem é parceiro do portal e suas criações recebem em média 300 mil acessos cada. 

Fazer o que gosta 

O caminho do sucesso para o fotógrafo Gus Benke é aquele que leva ao coração. Para ele, mais importante do que preocupar-se com o mercado é oferecer o melhor de cada um ao mundo. “Não queira ser fotógrafo, queira ser fotografia, mergulhe nisso de cabeça e acredite no que está vendendo. Sucesso acontece quando seguimos o caminho que a alma escolheu”, recomendou. 

Nélio Sprea, herdeiro de uma família de comerciantes, rompeu com o futuro profissional que parecia determinado para ele e abandonou o curso de Direito para cursar Música. Como se encantou pelo mundo infantil, fundou a Parabolé Educação e Cultura. Esforçou-se muito para convencer a comunidade escolar da importância das dinâmicas de aprendizagem informais. Por trabalhar com algo completamente novo, precisou de muitos argumentos e subsídios para justificar seu trabalho, além de persistência e confiança no que estava fazendo. O empenho foi recompensado e, atualmente, o empreendedor viaja por todo o País para realizar palestras. 

Ousadia 

Marcos Melo, da Futura Eventos, entende que disseminar o conhecimento é plantar oportunidades. Sua ousadia fez com que a empresa curitibana, especializada na organização e promoção de eventos na área educacional, despontasse para todo o Brasil. Fundada em 1994, o negócio sustenta o crescimento anual desde 1996 e a expectativa para 2015 é uma expansão de 30% no faturamento. 

Reformas das unidades em prazo recorde e a demora na entrega dos pedidos foram alguns percalços que Francisco Urban, administrador do Bar do Victor, precisou enfrentar em seu negócio. A fórmula encontrada por ele resume-se no tripé: motivação, orientação e proximidade da equipe de trabalho. “Acredito no planejamento e que especializar-se é necessário para fazer a diferença. Observação dos rumos do negócio é fundamental ter êxito.” 

Parcerias para o fortalecimento 

As empreendedoras Marcia Oliveira - da Satis Fudge - e Luciane Nardelli - diretora da Futurama Imóveis e vice-presidente da Redeimóveis - viram nas parcerias uma solução eficaz para impulsionar suas empresas. 

Marcia Oliveira explica que o fugde, doce de origem inglesa, não é chocolate e não é trufa. Para lidar com o desafio de lançar um produto novo no mercado - artesanal, único, exclusivo e com prazo de validade curto - a empresária apostou em parcerias com grandes empresas para fazer a divulgação do produto. A ideia não foi a primeira testada, mas deu muito certo A recente negociação com a Revista Carta Capital é uma prova disso. 

Nos anos 1990, a preocupação de Luciane Nardelli era com má imagem que alguns corretores de imóveis mal-intencionados deixavam no mercado imobiliário, que já dava sinais de crescimento. Por isso, passou a atuar em conjunto com 12 sérias imobiliárias e, assim, quebrou o paradigma da concorrência. Associadas, as empresas detêm 20% da fatia de mercado na capital e faturam 35% a mais. O segredo foi o compartilhamento de um banco de dados comum sobre a necessidade dos clientes. 

Realização 

Também compartilharam suas histórias os empreendedores: Mariah Endo - diretora da Universidade da Experiência; Tadeu, o Rei do Pierogui; Mário Nicolau - EggMania e Refinaria iltda; André Albuquerque - diretor executivo e fundador da Terra Nova e Carlos Margarido - sócio-fundador da Endossa. 

O evento foi uma realização da Escola de Criatividade em parceria com o Sebrae/PR e HUB Curitiba. Os vídeos resumidos das apresentações estarão disponíveis em http://escoladecriatividade.com.br