Você está em:
Postado há . Atualizado há

CEO da Intersector fala sobre as alternativas contra a inadimplência nas instituições de ensino superior

Prolongamento da crise eleva preocupação com o futuro da educação e dos mais de 90 mil professores e funcionários administrativos

Prolongamento da crise eleva preocupação com o futuro da educação e dos mais de 90 mil professores e funcionários administrativos

Além dos impactos na formação dos alunos, o prolongamento da crise causado pela Covid-19 tem aumentado brandamente a taxa de inadimplência nas instituições de ensino superior privadas. Separando a variação da taxa de inadimplência por modalidade de ensino, uma recente pesquisa feita com 146 instituições de ensino superior privadas de pequeno, médio e grande porte brasileiras, pelo Sindicato das Instituições de Ensino Superior Privado (Semesp), mostra um salto de mais de 50% no ensino a distância (EAD) e um aumento de 75,8% no presencial em comparação ao ano de 2019.

Segundo a pesquisa, por conta do coronavírus, a taxa de inadimplência ficou em 26,3% no atual cenário de coronavírus, contra 15,3% em abril do ano passado, somando cursos presenciais e EAD. Aumento de 72,4%.

Para o CEO da fintech especializada em crédito para pós-graduação e MBA, Intersector, Kleber Câmara, a crise tem sido um grande desafios, pois além de impactar na situação econômica e na formação profissional dos alunos, reflete na sustentabilidade e recuperação das instituições de todos os portes. Reflexo disso, é que o Ministério da Educação suspendeu, até dezembro, o pagamento de parcelas do Fies por conta da pandemia.

Como outra alternativa, as fintechs de financiamento de pós-graduação e MBA, estão movimentando o mercado estudantil e facilitando a vida de quem precisa fazer uma pós-graduação para ascender na carreira profissional ou se atualizar, mas não consegue custear as mensalidades. Elas oferecem maior prazo de parcelamento com valores mensais mais acessíveis devido a juros reduzidos, desburocratização no sistema de adesão e, consequentemente, mais rapidez no processo.

“Com a chegada do chamado ‘novo normal’, é necessário oferecer alternativas facilitadas para que os alunos não desistam dos estudos. A crise não pode ser um impedimento, pelo contrário, deve ser o momento de preparação, capacitação para enfrentar as mudanças e exigências desse novo mercado”, alertou Kleber Câmara.

Outra situação mostrada por ele é que o ensino superior privado sempre foi responsável por empregar profissionais em diversas frentes. Segundo ele, hoje, o setor emprega quase 100 mil professores e funcionários administrativos e, por isso, buscar alternativas contra a inadimplência é essencial para manter as atividades dessas instituições.

“Nós, da Intersector, estamos à disposição para oferecer facilidades de financiamentos para os alunos de pós-graduação e MBA nas mais renomadas instituições de ensino do país, concedido de forma mais rápida e menos burocrática, bem como oferecer condições exclusivas para as faculdades. Ao firmar uma parceria com a nossa fintech, a escola tem o benefício de receber 33,33% do valor total já na primeira parcela. Juntos vamos passar por essa fase e sairmos ainda mais fortalecidos”, ressalta Câmara.

CEO da Intersector, Kleber Câmara