Área do Cliente

Mais do que prestação de serviços...

Uma parceria!

Área do Cliente

Notícia

31/12/1969 21:00:00

AUXÍLIO-INCLUSÃO à pessoa com deficiência: veja como funciona o benefício

Em outubro de 2021 iniciaram os pagamentos do Auxílio-Inclusão à Pessoa com Deficiência

31/12/1969 21:00:00

Em outubro de 2021 iniciaram os pagamentos do Auxílio-Inclusão à Pessoa com Deficiência.

Esse auxílio tem como objetivo incentivar o cidadão que recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC/LOAS) a reingressar ao mercado de trabalho.

O Ministério da Cidadania será o responsável pela gestão do auxílio e o INSS cuidará da operacionalização e do pagamento.

O valor a ser pago nesse auxílio é metade do valor de pagamento do BPC/LOAS, que hoje é de um salário mínimo.

Esse benefício é de suma importância e fará grande diferença na vida de muitos beneficiários. Por isso criamos este material para explicar o que é o Auxílio-Inclusão à Pessoa com Deficiência, quem tem direito e como solicitá-lo.

O QUE É AUXÍLIO-INCLUSÃO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA?

O auxílio-inclusão é um benefício criado pelo Governo Federal destinado às pessoas com deficiência moderada ou grave que recebem ou receberam o BPC/LOAS.

Como seu nome já diz, o objetivo é incluir, incentivar o reingresso ao mercado de trabalho dessas pessoas sem a possibilidade de perder toda a renda que recebia.

As informações sobre esse auxílio podem ser encontradas na Lei 14.176/21.

QUEM TEM DIREITO AO AUXÍLIO-INCLUSÃO?

Conforme a lei, tem direito a receber o auxílio-inclusão as pessoas com deficiência que recebem BPC, que estejam trabalhando ou que começarão a trabalhar.

Para ter direito a esse benefício, é preciso que alguns requisitos sejam cumpridos. São eles:

  • estar recebendo o BPC/LOAS ou ter recebido nos cinco anos imediatamente anteriores ao exercício da atividade remunerada;
  • iniciar uma atividade remunerada onde o valor recebido não seja superior a dois salários mínimos (R$ 2.200,00 para o ano de 2021, por exemplo);
  • estar com o Cadastro Único (CadÚnico) atualizado;
  • inscrição regular do CPF
  • a renda per capita da família deve ser igual ou menor que ¼ do salário mínimo.

Sobre a renda, importante esclarecer que o valor do auxílio-inclusão recebido por algum membro da família não fará parte do cálculo, bem como a remuneração do beneficiário, rendas de estágio e contrato de aprendizagem dos integrantes da família.

Seguindo a mesma linha do LOAS, esse auxílio não sofrerá nenhum desconto e não gera 13º salário sobre esse benefício previdenciário.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAR O AUXÍLIO

Para requerer o benefício é necessário que o beneficiário apresente:

  • Documentos de identificação e CPF regular do requerente e do grupo familiar;
  • Inscrição no CadÚnico atualizada;
  • Documentos médicos que comprovem a deficiência;
  • Comprovantes de despesas médicas não supridas pelo SUS;
  • Documento de comprovação de recebimento do BPC/LOAS (disponível no MEU INSS);
  • Declaração de composição do grupo familiar e da renda do grupo.

COMO SOLICITAR ESSE BENEFÍCIO

O requerimento para esse auxílio poderá ser feito no site e aplicativo do MEU INSS , pela central 135 ou ainda de forma presencial em alguma agência do INSS.

Quando o auxílio-inclusão à pessoa com deficiência é deferido pelo instituto, o beneficiário deixa de receber o LOAS.

Segundo o Ministério da Cidadania, caso a pessoa perca o emprego ou deixe de trabalhar com carteira assinada, ela poderá solicitar novamente o BPC/LOAS sem precisar passar por todas as avaliações exigidas.

Para solicitar o Auxílio-Inclusão à Pessoa com Deficiência pela internet, CLIQUE AQUI.

QUAL O VALOR DO BENEFÍCIO

O valor do benefício será de 50% do valor do BPC/LOAS.

Isto é, metade do salário mínimo que hoje corresponde a R$ 550,00 reais e deve ser atualizado sempre que houver reajuste do valor do salário mínimo.

O valor do benefício será de 50% do valor do BPC/LOAS.

Isto é, metade do salário mínimo que hoje corresponde a R$ 550,00 reais e deve ser atualizado sempre que houver reajuste do valor do salário mínimo.

Com o auxílio inclusão a pessoa com deficiência poderá entrar no mercado de trabalho, ter direito as verbas trabalhistas, como por exemplo 13º salário e FGTS, contribuir e futuramente ainda poderá solicitar uma aposentadoria por deficiência e deixar direito a pensão por morte, além de enquanto trabalhar e atender os requisitos do auxílio inclusão, receber o benefício da inclusão.

Se você ficar com dúvidas sobre o procedimento e as regras para encaminhar o benefício o ideal é que busque o auxílio de um especialista em Direito Previdenciário e este poderá lhe auxiliar.

POR QUANTO TEMPO POSSO RECEBER O AUXÍLIO-INCLUSÃO

O auxílio-inclusão à pessoa com deficiência será pago enquanto o beneficiário estiver cumprindo os requisitos exigidos.

No momento em que os requisitos foram descumpridos, o benefício deixará de ser pago.

Importante destacar que esse auxílio não poderá ser cumulado com outros benefícios como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença e seguro desemprego.

Devido ao fato de estar trabalhando e iniciar as contribuições previdenciárias, esse beneficiário terá direito a solicitar esses auxílios do INSS.

Por isso, no momento em que se recebe algum desses benefícios citados acima, o auxílio-inclusão deixará de ser pago.

CONCLUSÃO

Como foi possível perceber ao longo desse conteúdo, o auxílio-inclusão à pessoa com deficiência é um benefício novo com regras específicas.

Por mais que tenham alguns requisitos iguais ao do LOAS, esse auxílio possui requisitos próprios.

O principal objetivo desse auxílio é estimular as pessoas a reingressarem ao mercado de trabalho sem perder por completo o benefício assistencial.

Agenda Tributária

Período: Dezembro/2021
D S T Q Q S S
   01020304
05060708091011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Notícias Técnicas

Notícias Empresariais

Notícias Melhores